domingo, 10 de julho de 2016

Conto Emaranhados


Eric do Vale 


“Bem vindos, bem vindos aqui,
o trem já vai partir desarmem suas tendas
temos muito a descobrir”                                                    
 (Esse Mundo: Vange Leonel & Cilmara Bedaque) 


1

Naquela reunião de domingo, o assunto não podia ser outro: a separação de Antônio Carlos e Nair. A união chegou ao fim, após quinze anos de vida matrimonial. Aquilo, no entanto, não era nenhuma novidade, porque sabiam que o casamento deles vinha capengando, há muito tempo. E as coisas ficaram de mal a pior, quando o único filho deles foi abatido pela leucemia.
-Na verdade, a Nair nunca gostou dele. _ Opinou Alberto.
-Alberto! _ Censurou a esposa dele.
-Estou falando alguma mentira? Todo mundo, aqui presente, sabe que a Nair nunca foi apaixonada pelo Antônio Carlos.
-Mas, ele era louco por ela. _ Falou Cecilia. – Fazia todos os gostos dela.
- Não era isso que eu ouvia dizer. A própria Nair, várias vezes, disse que o Antônio Carlos era um mão de vaca, além de um cavalo batizado. E não foi só para mim que ela disse isso. _ Comentou Dolores.
Todos concordaram e Fernanda foi enfática:
-O Antônio Carlos pode ter mil e um defeitos, mas a grande responsável pelo fim do casamento foi a Nair. Não é porque ela é minha irmã que eu vou passar a mão na cabeça dela. A mamãe sabe disso perfeitamente, embora não admita. E como disse a Cecília: ele sempre foi apaixonado por ela e fazia os gostos dela.
-Mas não foi a própria Nair quem quis se separar? _ Perguntou Dolores.
-Exato e eu vi tudo: eles estavam aqui, em casa, quando a Nair começou a se queixar da vida falando que não estava muito feliz com o casamento e que não aguentava mais. O Antônio Carlos, inclusive, estava sentando nessa mesma cadeira onde, agora, encontra-se o Alberto.
-Ela falou tudo isso na frente dele? _   Perguntou Dolores.
-Sim. Foi de fazer pena. Mas, ele, depois que ouviu tudo, levantou-se e disse: “Nair, você quer se separar?”.  Ela ficou calada e ele continuou: “Amanhã, nós vamos ao fórum e resolveremos isso tudo.”. E assim, encerou a conversa. 
-Pelo que fiquei sabendo, Fernanda, a sua irmã tentou voltar atrás.
-Tentou, mas ele é que, dessa vez, não quis saber mais dela.  Tenho para mim que no momento em que a Nair fez aquele desabafo, a ficha tinha caído para o coitado do Antônio Carlos. 
A única coisa que Fernanda não falou referente a irmã foi sobre a traição que essa vinha pregando sobre Antônio Carlos. Todos ali presentes tinham conhecimento daquilo, pois não era segredo para ninguém.
Cecilia, certificando-se de que Fernanda não estava por perto, falou:
-A Nair é muito burra. Como é que ela deixa um pedaço de mau caminho daquele solto na pista?
2

- Eu estou com medo_ Disse Mariana deitada sobre o divã.
-Medo de quê? _ Perguntou o analista.
-Medo de enfrentar a realidade, de entender....
-Entender o quê?
Ivan chegou em casa e viu a mesa posta. Os dois filhos dele já estavam jantando e ao perguntar pela esposa, Tiago, friamente, lhe respondeu:
-Mamãe está no quarto e falou que não vai jantar.
- Por quê?
-Está indisposta. _ Levantando-se.     
Ivan foi até o quarto e vendo Mariana deitada, perguntou:
- O Tiago me disse que você estava indisposta, está tudo bem?
-Só uma enxaqueca.
Os filhos já estavam praticamente encaminhados para a vida e tudo levava a crer que, futuramente, Ivan e Mariana teriam mais tempo um para o outro.
Questionada pelo analista sobre a razão de tudo aquilo estar acontecendo, Mariana respondeu:    
-Se você me perguntar como foi que as coisas, de repente, ficaram do jeito que estão, não saberei responder. Não posso negar que o Ivan sempre foi um bom marido e um pai maravilhoso. Agora, fazendo um balanço da minha vida de casada, percebo que o meu marido teve um amor distante, mesmo nos nossos momentos mais quentes. Ele sempre foi cerimonioso comigo, com os filhos e com quem quer que fosse. Isso esteve incutido na personalidade dele. Tenho medo de que o Tiago perca a razão e faça alguma besteira. O meu outro filho, graças a Deus, não sabe de nada, mas já percebeu que alguma coisa está acontecendo.  E pelo andar da carruagem, não vai demorar muito para que, brevemente, tome conhecimento disso.
Tiago chegou em casa bastante emburrado e Mariana perguntou:
-Está havendo alguma coisa?
Tiago relutou até que abriu o jogo:
-O papai e aquele Bruno.
Ele se referia ao rapaz que o pai conheceu recentemente.  
-O que é que tem? _ Perguntou Mariana.
- Eu vi os dois no shopping combinando de almoçar e depois, iriam ao cinema.
- E daí?
Por mais que Mariana contra -argumentasse, sabia, intimamente, que o filho tinha razão. Então, ela desabafou com o analista:
-O Ivan sempre foi muito rígido com o trabalho dele e por isso, é justo que tenha todo o direito de arejar um pouco. Além do mais, ele nunca me impediu de fazer nada que eu quisesse. Por exemplo, o Ivan jamais se incomodou que eu saísse com as minhas amigas e fosse ao cinema com elas. Até falei isso para o meu filho que me respondeu o seguinte: “Não é a mesma coisa, mãe!”. Aquilo soou como um balde de água fria na minha cara. Eu não quero ser injusta com o meu marido, mas não posso negar que, de uns tempos pra cá, tenho me sentido incomodada dele ficar pra cima e pra baixo com esse homem. 
 Ivan perguntou se ela estava precisando de alguma coisa.
-Acho que está mais do que na hora de você e eu termos uma conversa. Feche a porta, por favor. _ Falou Mariana. 
3

Durante o trajeto para a casa, Alberto comentou com a esposa:
- Além de simpática, é muito bonita aquela amiga da Nair.
A esposa dele, nessa hora, teve uma crise de risos e Alberto ficou sem entender. Recuperando-se, ela falou:
-Só você mesmo, Alberto, para pensar uma coisa dessa!
-Pensar o quê?
-Que aquela moça que vimos com a Nair, no shopping, é amiga dela. Francamente!
-Não brinca!
-Há muito tempo que eu sabia disso.
-Por que nunca me contou?
-Pensei que você soubesse.
-Está aí uma coisa que eu não sabia e se você não tivesse me contado, morreria sem saber.
-Eu sabia disso, desde a época em que ela era casada com o Antônio Carlos.
-Eu sabia, por alto, que a Nair enfeitava a cabeça dele, mas nunca poderia imaginar que fosse dessa maneira. Coitado do Antônio Carlos! Por falar nisso, eu, recentemente, o vi, e pelo jeito, ele está em outra.
-É?
-Lembra-se da Mariana, aquela que foi casada com o Ivan?
-Claro que eu me lembro. Até estudamos juntas, durante o Ensino Médio.
-O Antônio Carlos está namorando com ela. 
-Coisa boa! Ele merece ser feliz e ela também.
-Engraçado, a Mariana e o Ivan eram um casal tão bonito e de repente, terminaram se separando.
-Pra você ver como são as coisas.
-Até agora, eu jamais entendi a razão deles terem se separado.
- Eu também não. Aliás, ninguém nunca entendeu isso direito.
- O mais surpreendente é que depois disso, o Ivan evaporou.
-É verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário